SAMBA • TEATRO • DRAMATIZAÇÕES

Samba Cênico
Teatralizando O Carnaval

PREV
NEXT

Usina Paulistana de Artes
Oferecemos: Oficinas, cursos, debates, saraus, exposições e espaço para ensaios.
Um lugar dedicado à pesquisa e difusão de várias manifestações artísticas

USINA PAULISTANA DE ARTES

Espaço cultural

Projeto Samba Cênico

O Samba Cênico nasceu do anseio de um artista que já foi passista, chefe de ala, compositor e mestre sala; é um ator profissional respeitado em seu meio, professor em várias instituições artísticas, produtor cultural com vasto currículo e um espaço cultural e diretor teatral.


Régis Santos

Ator, produtor cultural, diretor teatral e professor, tendo iniciado na carreira artística em 1983. Como sambista iniciou na escola de Samba Sociedade Rosas de Ouro em 1976, Já tendo desfilado como componente da ala infantil, como passista, mestre sala e personagem teatral em composição de ala e de alegoria.

Usina Paulistana de Arte

É um espaço cultural e sede da companhia teatral, que oferece, oficinas, cursos, debates, saraus, exposições e espaço para ensaios. Um lugar dedicado à pesquisa e difusão de várias manifestações artísticas, onde o artista e o cidadão, o interessante e o interessado se encontram para trocar, difundir e aprofundar conhecimentos.

|

Quem Somos - UPA

Usina Paulistana de Artes & Seu espaço cultural

Suas atividades começaram no ano de 2004, idealizado pelo ator, produtor e diretor Régis Santos, abrigando oficinas, cursos, debates, saraus, exposições e espaço para ensaios.

Um lugar dedicado à pesquisa e difusão de várias manifestações artísticas, onde o artista e o cidadão, o interessante e o interessado se encontram para trocar, difundir e aprofundar conhecimentos.
Como idealizador dessa instituição cultural, Régis Santos conta que o nome Usina não foi escolhido à toa.
“Sempre quis que esse local fosse um produtor de energia artística e, por meio de uma programação constante, um lugar de movimentação construtiva, provocadora, criativa e criadora.”

Outra área de atuação da Usina Paulistana de Artes foi o projeto “Inclusão Usina”, que abriu suas portas para as comunidades carentes, entidades e ONGs da região, oferecendo atividades às crianças, adolescentes e idosos de classes sociais menos favorecidas. Pensar a arte como agente de transformação, tendo como local de criação, de pesquisa de suas ações e também a sede da companhia teatral em um bairro de referência cultural e de necessidade artística no viés social, veio a calhar com o encontro do casarão e sua geografia na cidade, diz Régis Santos: “Quando pensei em montar o espaço, quis um lugar que contribuísse para a revitalização do centro da cidade. Além de já ter uma história relacionada com o teatro, o bairro do Bexiga fica no entorno do centro, como se fosse uma “periferia bem na região central.” A Usina, como companhia de teatro, também atua artisticamente em espetáculos voltados à inclusão social. Desde 2010, circula com sua produção infanto-juvenil “Cidadão de Papel”: uma obra que trata da identidade do jovem na sociedade atual e promove a reflexão sobre o exercício da cidadania, através da conscientização dos seus direitos e seus deveres.

Festival Usina de Artes
Cultura e Economia Criativa.

Trata-se de um conjunto de atividades baseadas no conhecimento, desenvolvimento e ligações transversais a níveis macro e micro na economia global, relacionada à criatividade e ao campo simbólico que constitui o que chamamos Economia Criativa. Mediante a compreensão do fenômeno cultural, em que é possível situar e reconhecer a diversidade existente no mundo, e sob a premissa da pluralidade, deve caminhar o entendimento do respeito a identidades culturais.

Com o intuito de dar a visibilidade que foi negada a grandes ícones afro-brasileiros fundamentais na nossa história.

Trata-se de um canal com videoaulas, Com explanações de até 15 minutos, por meio de narrativa cênica e/ou ilustrações digitais e visuais, vemos a saga oculta de ícones da história do Brasil, que mesmo com passagens de vida incríveis, transformadoras e marcantes em seu tempo, tornaram-se invisíveis no decorrer de nossa sociedade. São biografias históricas e educativas a serem publicadas em plataformas digitais e redes sociais, tendo como público-alvo jovens, adultos e crianças.

Régis Santos Ator, produtor cultural, diretor teatral e professor.

Iniciou a carreira artística em 1983. Como sambista iniciou na escola de Samba Sociedade Rosas de Ouro em 1976, Já tendo desfilado como componente da ala infantil, como passista, mestre sala e personagem teatral em composição de ala e de alegoria.

Desde de 2008 atua como diretor teatral em desfiles de carnaval, desenvolvendo um intenso trabalho de coreografia cênica na avenida na Companhia Samba Cênico, ala teatral idealizada e dirigida por ele na Sociedade Rosas de Ouro, onde realizou como idealizador, diretor e também ator dramatizações, O Perfume/2008, Folião Sonhador/2009, Vovô Coelho/2010, Ali baba e os 40 ladrões/2011, Morte e Destruição/2012, A festa dos Mortos/2013, Terror-Trem Fantasma/2014.

Projeto Samba Cênico

SAMBA • TEATRO • DRAMATIZAÇÕES

O Samba Cênico nasceu do anseio de um artista que já foi passista, chefe de ala, compositor e mestre sala; é um ator profissional respeitado em seu meio, professor em várias instituições artísticas, produtor cultural com vasto currículo e um espaço cultural e diretor teatral, seu nome é Régis Santos, ecom seu potencial criativo e experiência tanto em carnaval iniciado a 38 anos atrás, e em teatro a 32 anos, tem buscado sempre suas dramatizações teatrais com a Cia. Samba Cênico, que é idealizador e diretor, o caminho do conceito que acredita, de “Carnavalizar o teatro, teatralizando o carnaval”.
Tudo começou no ano de 2008, quando pela primeira vez levou pela primeira vez uma grande dramatização cênica para o Sambódromo com tal impacto e tantos atores profissionais no mesmo conceito, assim adaptou, dirigiu e protagonizou em parceria com Carla Barbisan, o que viria a ser a grande aparição desta Cia. Teatral de carnaval com: O Perfume – A História de um Assassino, do Best Seller de Patrick Suskind no enredo, Rosaêssencia da Sociedade Rosas de Ourono Pólo Cultural Grande Otélo, o Sambódromo do Anhembi, em São Paulo.

Para o desfile do próximo carnaval, com o enredo “Depois da Tempestade o Encanto” o diretor já prepara outra surpreendente passagem pelo Anhembi. O tema da ala, ainda não é revelado, e como todo ano a performance, as ousadias e inovações, serão guardadas a sete chaves, segredo total.

Terror trem fantasma – 2014

O trem fantasma foi algo realmente marcante na adolescência de uma geração que em meados dos anos 70 e 80, viveram fortes emoções de terror, em parques, cinemas e lendas urbanas que ficaram para sempre na lembrança.

Festa dos Mortos – 2013

Festa dos Mortos – 2013
Elementos alegóricos em forma de mausoléus se abrem e transformam-se em altares cheios de doces, flores comidas e bebidas que eram as preferidas dos mortos ressuscitados que ressurgiam e desapareciam repentinamente na avenida, trazendo imensos guarda-chuvas com imagens de vários ícones finados mexicanos, assim o Samba Cênico novamente passou pelo sambódromo neste lindo desfile.

Morte & Destruição – 2012

Uma dramatização com quase 200 atores, onde boa parte deles, eram os nobres da corte húngara que fugiam do reino invadido por Batucam e seus súditos, os mesmos carregavam malas que hora eram pisos de palácio e instantes depois eram resinificadas, e tornavam-se suas próprias lápides de cemitério.

E 2011, acompanhado do ator Raphael Bueno, que no ano seguinte viria ser o seu primeiro assistente e braço direito. Ambos fazem uma dramatização a frente do carro de Alibaba e os quarenta ladrões, são os dois ladrões que abrem a gruta no desfile da Rosas de Ouro com o enredo “Abre-te Sésamo a Senha da Sorte.

O Cacau é Show – 2010

Em 2010, também na Rosas, a dramatização teatral do Samba Cênico se deu não somente com Régis Santos, mas em parceria com a premiada atriz Teca Pereira, em que ambos, interpretação no desfile “O Cacau é Show”, um casal de coelhos velhinhos, que vinham à frente de uma ala com dezenas de coelhinhos jovens antes do gigantesco carro alegórico do coelho que fechava o desfile.

Fábrica de Sonho – 2009

Em 2009 apenas Régis Santos interpretou no último carro da Rosas de Ouro no Desfile da Rosas de Ouro “Bem Vindos à Fábrica de Sonho”

O Perfume – 2008

Com mais de setenta atores, o Samba Cênico despontou na avenida com uma inovação no formato de se apresentar em desfiles como dramatização teatral, o número de pessoas, a cena feita em movimento de evolução do desfile no chão, as trocas de roupas, e o caráter ousado trouxeram para o espetáculo

Depoimentos

Parceiros

Usina Paulistana de Artes

Oferecemos: Oficinas, cursos, debates, saraus, exposições e espaço para ensaios.

R. São Domingos, 237
Bela Vista, São Paulo - SP

TOP